parceiro

Google+ Followers

domingo, 13 de abril de 2014

Dieta detox: os truques para quem exagerou



O plano  não exagerar na ceia. Mas quem consegue resistir às delícias típicas da mesa do Natal e réveillon? Geralmente, a gente come um punhadinho de castanhas, maneira na entrada, prova a maionese... E, aos poucos, vai liberando: não recusa o arroz com passas, come uma fatia de tender, repete o peru com farofa e experimenta pelo menos dois tipos de sobremesa. Isso quando não desliza no espumante. Mas nem tudo está perdido - desde que você compense os excessos no dia seguinte. Comer menos e beber água em dobro são recomendações básicas. Porém, para acelerar o processo de recuperação pós-festa, é importante você fazer mais: caprichar nos alimentos que ajudam a reequilibrar o pH do organismo (isso facilita o processo de desintoxicação) e abusar dos sucos, das sopas (quentes ou frias) e dos chás desintoxicantes são algumas das recomendações dos nutricionistas e nutrólogos consultados pela BOA FORMA. O objetivo é ajudá-la a se livrar rapidamente das toxinas que resultam do consumo excessivo de comidas gordurosas, doces e bebida alcoólica. Acumuladas no organismo, essas substâncias inimigas prejudicam a pele, o pique e, principalmente, a balança. Você ainda vai combater a retenção de líquido e desinchar, além de queimar algumas gordurinhas para começar 2014 com tudo em cima.

Chás contra o inchaço

Os chás são ótimos para aliviar a retenção de líquido e, consequentemente, o inchaço que deixa até as mulheres magras com a barriga saliente. Aposte nos que têm efeito diurético, como os chás verde, de cidreira, erva-doce, capim-limão, maçã com canela, camomila, hibisco, cavalinha, dente-de-leão e cabelo de milho. Sugestão: prepare uma boa quantidade da bebida e deixe na geladeira. Assim, você toma o chá geladinho, como se fosse refresco.

Mais água no dia seguinte

Prepare-se para beber água o dia todo - no mínimo 2 litros. É uma medida importante especialmente para quem abusou do álcool, que deixa as células desidratadas e a péssima sensação de ressaca. Traduzindo: boca seca, enjoo e dor de cabeça. Você brindou com refrigerante? Mesmo assim deixe uma garrafinha d’água por perto. Outra receita detox é tomar, ainda em jejum, um copo de água morna com o suco de um limão e raspas de gengibre. "São ingredientes capazes de aumentar a produção de enzimas que facilitam o trabalho do fígado no processo de eliminação das toxinas", diz Patrícia Davidson Haiat, nutricionista do Rio de Janeiro. O limão ainda combate a fermentação no estômago e no intestino, evitando o acúmulo de gases. E por que água morna? Ingerida na temperatura próxima a do corpo, poupa esforço ao organismo, que, após uma orgia alimentar, merece um descanso.

Dieta levinha, levinha

Doce, comidas gordurosas e álcool sempre estimulam a produção de toxinas. Imagine, então, quando consumidos em excesso. São capazes de alterar o pH do organismo, deixando-o muito ácido e, consequentemente, mais propenso a acumular gordurinhas. Portanto, no dia seguinte à ceia, invista nos alimentos com ação alcalinizante - ou seja, que deixam o pH do sangue e de outros líquidos corporais menos ácidos. Isso favorece o funcionamento do metabolismo, facilitando a perda e a manutenção do peso. Os principais representantes são: aveia, alface, agrião, brócolis, couve, rúcula, rabanete, pepino, lentilha e melão. Apesar do sabor azedo, que dá ideia de acidez, as frutas cítricas como limão e laranja também têm ação alcalina. Use esses alimentos no preparo de sucos e sopas, que, por ser facilmente digeridos, exigem pouco esforço do organismo. Além disso, evite carnes (inclusive frango e peixe), massa, pão e produtos industrializados. E, claro, passe longe da cerveja, da caipirinha... Faça isso por um dia ou dois. Mas, no terceiro, volte a consumir alimentos sólidos, porém saudáveis (carnes magras, ovos, verduras, legumes, frutas frescas). Caso aguente mais tempo sem carboidratos, especialmente os refinados (feitos com farinha branca e pobres em fibras), você pode seguir a orientação do médico nutrólogo Alberto Serfaty, do Rio de Janeiro. Para ele, o ideal é voltar a incluir esses alimentos no cardápio só mais tarde: quatro ou cinco dias depois da festa.
Adicionar legenda
fotnte:http://boaforma.abril.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário